Tudo o que você sempre quis saber sobre documentários – Brainstorm Tutoriais – Edição de Vídeo com Sony Vegas, Adobe Premiere e muito mais

 

Continuando a nossa série sobre gêneros no audiovisual como você nunca viu, hoje vamos falar de documentários. Neste texto você vai quebrar paradigmas e encontrar muita referência legal.Sua pegada no audiovisual é produzir um conteúdo mais denso, com mais duração, que traga alguma reflexão, discussão ou informação de um jeito mais profundo? Investir em criação de documentários pode ser uma alternativa pra você.

Os documentários são um gênero do audiovisual bastante consagrado, com alguns elementos clássicos como as entrevistas. O que eu quero trazer com esse texto, é uma visão diferente desse gênero tão bacana, mostrando opções criativas e diferentes de documentar. Vamo nessa?

Documentário não precisa ser o único gênero presente na produção

Existem muitos trabalhos que misturam ficção e outros elementos ao estilo documental, resultando numa produção extremamente criativa e variada, que surpreende o espectador ao apresentar não um simples documentário, mas várias outras nuances artísticas agregadas

Emoções definem a “cara” do seu trampo

Um documentário mais artístico passa longe de um registro imparcial, ele dá lugar pra linhas de expressão emocional e pode ter um direcionamento que marque a produção, muito parecido com o estilo dos filmes mesmo: um documentário pode ter uma pegada de comédia, de drama, terror, romance e etc e ainda misturar essas tendências entre elas.

Direção é permitida e bem vinda

Às vezes, como o documentário é um gênero que se caracteriza pelo registro de fatos e transmissão de informação, como um documento mesmo, temos a ideia de que não se pode interferir nas entrevistas e registros. Mas não é por aí, até mesmo num documentário mais clássico, sem muita inovação, direção e noções de storytelling são fundamentais, porque fazem o material coletado ser mais coerente e expressivo.

Imagina então, a importância disso na produção de um documentário diferentão? Fundamental né?! Nesse caso, intervenções são mais que bem-vindas. É possível brincar, estruturar um roteiro e até mesmo misturar um pouco de atuação se isso for coerente com o que você estiver criando.

 

Depois dessas descobertas, e de falar um pouco das várias possibilidades que esse gênero oferece, quero compartilhar um conceito: o mockumentary. O que é isso?É uma produção audiovisual super criativa que tem formato de documentário, mas é fictícia, como um documentário fake.

Se liga nessas referências:

F for fake

Essa produção épica é considerada o primeiro mockumentary da história do audiovisual. Dirigida por Orson Welles, Gary Graver, Oja Kodar e Fançois Reichenbach, a produção trata do que é ser falso, de forma criativa e inusitada, usa mágica, arte e cinema pra tratar disso.

O que fazemos nas sombras

Dirigido por  Jemaine Clement e Taika Waititi, esse documentário fake mescla terror e comédia numa perspectiva completamente fictícia, mas com estrutura narrativa de documentário. A produção é sobre o registro da vida de três vampiros que dividem apartamento, mostrando a rotina e os desafios deles de um jeito super divertido É um show de nonsense que dá muito certo.

Zelig

Esse é um documentário com caráter performático que conta sobre a vida de um jovem com um “distúrbio de camaleão” que faz  com que ele se transforme por conta da assimilação de características, tanto físicas quanto de comportamento do meio em que está. Essa característica faz a vida dele bastante agitada e o torna famoso tanto pro bem quanto pro mal. E tudo isso é feito numa pegada de registro narrativo, na direção de Woody Allen, que é também roteirista e ator na obra.

Viu como documentário é cheio de possibilidades? Dá pra inovar, ir pro rumo do mockumentary, ou ainda fazer algo mais clássico mesmo, com um toque de ficção, direção e criatividade.

Você quer investir na sua carreira no audiovisual, ficar por dentro das tendências de mercado, novidades e conteúdos exclusivos? Se inscreve na nossa BNews!

E você? Tá afim de ingressar no mundo dos documentários?

Saiba que nem tudo é uma câmera na mão e uma ideia na cabeça, é muito importante que você tenha um portfólio legal para conquistar espaço nesse meio audiovisual. Se tiver dúvidas sobre como montar um, eu tenho o material perfeito para você. Só clicar aqui pra ter acesso e começar a produzir 😉

 

Mateus Ferreira

Mateus Ferreira tem 20 anos, é de Londrina-PR e atualmente cursa Comunicação Social - Publicidade e Propaganda. Sempre foi apaixonado por internet, edição de vídeos e programação, criou o Brainstorm Tutoriais em Janeiro/2011 com o intuito de compartilhar seu conhecimento.

Ver todas as postagens

Siga nossas Redes Sociais